Rodovia Itabaiana-Itaporanga recebe camada asfáltica em novo trecho

postado em: Noticias | 0

Obra que está com seis frentes de trabalhos em sua extensão, já é motivo de comemoração por parte dos moradores

 

Muito mais que prolongar a vida útil dos veículos, encurtar distâncias e valorizar os imóveis à sua margem, a pavimentação asfáltica melhora as condições de vida dos moradores em seu entorno, uma vez que põe fim aos problemas ocasionados pela lama e poeira nos logradouros. Morador do povoado Aldeia, em São Cristóvão, José Robson Santos não esconde a satisfação com a Rodovia Itabaiana/Itaporanga (SE 255) que passa em frente à sua residência, cessando os tormentos vividos por ele e pelos demais moradores.

“Daqui até a BR 101, onde pegamos transporte para Aracaju e Itaporanga D’ajuda são 2 Km de distância, e, em época de chuva a lama era tanta que a gente tinha de levar uma garrafa com água para lavar os pés antes de entrar no transporte, fora que a estrada era precária e cheia de buracos. Agora o progresso chegou, acabou a poeira e com certeza teremos linhas de ônibus ou vans para Aracaju, Itaporanga e Itabaiana. O povoado inteiro vai ser beneficiado”, orgulha-se o artesão de 33 anos.

Também sem esconder a alegria com o avanço da rodovia, a aposentada Maria Eunice Menezes, 73 anos, diz que satisfação é o verbo mais conjugado em sua casa e na vizinhança. “Morei aqui por muito tempo, passei um tempo fora e há 10 anos retornei. Tinha medo de morrer e de não poder aproveitar as benfeitorias dessa obra. Aqui em casa e na vizinhança, tá todo mundo satisfeito. A gente quando vai pegar um transporte na BR não precisa mais levar uma garrafa de água para lavar os pés, não tem mais poeira para nos sufocar e a chance de passar linha de transporte agora é muito maior”, anima-se a moradora.

Executada pelo Governo de Sergipe, através do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER/SE), as obras da rodovia recebem investimentos de R$ 58.140.592,81, oriundos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados (Proinveste) e prosseguem modificando a cada dia o belo cenário da qual ela faz parte.

O andamento dos serviços

De acordo com o engenheiro fiscal da obra, Geraldino Vieira, atualmente a obra está com seis frentes de trabalhos. “Além da construção da ponte sobre o Rio das Pedras nas proximidades da bifurcação com a BR 235, estamos com mais 75 profissionais se revezando na aplicação da camada asfáltica, duas frentes de trabalho executando as canaletas das redes de drenagem em dois trechos distintos da rodovia e mais duas frentes finalizando as camadas de base, todas elas no povoado Aldeia”, detalha.

O fiscal diz ainda que a tendência seja de que a obra ganhe celeridade. “De certo modo, as chuvas ocorridas recentemente retardaram alguns serviços, sobretudo na execução das camadas de sub-base e base, uma vez que todo o trabalho realizado foi desfeito. No entanto, estamos com um bom volume de atividades, e até o final dessa semana, passaremos de 24 para 26 km de asfalto, sem contar que concluindo as camadas de base, faremos a imprimação e em seguida lançaremos mais camada asfáltica.

A rodovia

A nova rodovia que se tornará a maior do Estado possui 52 km de extensão. Seu ponto inicial é na BR-101, na altura do povoado Aningas, em São Cristóvão, passando por povoados dos municípios de Itaporanga D’ajuda e Areia Branca até interligar-se com a BR-235, no povoado Rio das Pedras em Itabaiana. Sua configuração atende ao padrão estabelecido às novas estradas estaduais, terá dez metros de largura, sendo sete de pista de rolamento e três de acostamento, sistema de drenagem pluvial, sinalização horizontal e vertical.

Construída em uma região cujo relevo é predominado por vales e planaltos, além de muita vegetação nativa, os benefícios que a pavimentação asfáltica trará ao desenvolvimento socioeconômico do Estado serão inúmeros, uma vez que por interligar as duas rodovias federais em Sergipe, facilitará o escoamento da produção mineral e agrícola, possibilitará o surgimento de novas linhas de transporte intermunicipal, encurtará a distância entre os povoados e as sedes municipais, valorizará as inúmeras propriedades às suas margens e nas proximidades, além de elevar a autoestima dos moradores residentes em seu entorno, visto que suas condições de vida se tornarão melhores.


Última atualização: 22 de novembro de 2019