Tráfego na ponte Pirambu-Barra poderá ser totalmente liberado até o carnaval

postado em: Noticias | 0

Obras estão na etapa de concretação dos quatros pilares centrais e moradores mostram-se  entusiasmados com a liberação parcial  do local

A recuperação estrutural da ponte Pirambu-Barra, na SE-100, está mais de 50% concluída. A obra pública é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) e execução do Departamento de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER). Nesta sexta-feira(31), os serviços estão voltados para etapa de concretagem dos quatros pilares centrais.

O engenheiro Civil do DER, Carlos Alberto, explicou os desdobramentos na recuperação estrutural da ponte. Segundo ele, o foco são os quatros pilares centrais. “Na primeira fase houve um  tratamento desses locais como o coroamento das estacas, algumas conseguimos realizar o processo já em outras não. Para  realizar o escoramento foi necessário interditar a ponte”, afirma. 

O engenheiro ainda acrescenta que é necessário começar a etapa de recomposição do concreto. “Hoje colocaremos armaduras, que é uma nova ferragem com envolto de até 3cm de altura. Essa etapa servirá como meio de recuperação para área que foi perdida pela corrosão. Além disso,  estaremos também concretando os quatros pilares centrais até a próxima quarta-feira. Com cerca de 21 dias retiraremos a forma, para que já possam receber carga. A seguir, o escoramento será retirado e a perspectiva é que até o carnaval, a ponte seja  liberada para o tráfego de veículos de qualquer espécie”, explicou. 

Paralelamente, a equipe faz serviços de menor expressão e diz que a partir da próxima semana os pilares estão totalmente recuperados. O último passo é realização da técnica cura úmida, que garante a hidratação adequada do cimento, fazendo com que o concreto tenha a qualidade final esperada. Para os moradores da região, a agilidade da obra pública deixou nítido o compromisso para com a população. 

Para o morador de Pirambu, Antônio dos Santos, o retorno do fluxo de transporte na ponte fortaleceu a rotina produtiva do local. “Quando a ponte foi interditada, o trajeto dificultou bastante, eram cerca de 1h e 20 minutos de viagem por Japaratuba. Mas, com a rapida liberação voltamos a nos locomover para Aracaju e Barra dos Coqueiros e consequentemente voltou a movimentar o comércio da cidade”, detalhou.  

“A ponte é o meio acesso para todos e a população depende dessa mobilização. A operação Pare e Siga e o escoramento feito pela a equipe responsável pela obra melhoram muito a situação da população”, revelou o O pescador Alessandro Ferreira Santos, morador da Barra dos Coqueiros.

Atualizado: